Caraterísticas dos Vinhos Verdes

12 Caraterísticas únicas dos Vinhos Verdes

1. É exclusivamente produzido na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, situada no noroeste de Portugal (entre os rios Minho e Douro);

2. É produzido apenas a partir das castas autóctones da região, preservando a autenticidade de aromas e sabores tão diferenciadores tanto a nível nacional como internacional;

3. As diferenças climáticas são significativas ao longo da Região dos Vinhos Verdes e isto reflete-se nas suas nove sub-regiões, cujos nomes provêm de rios ou vilas/cidades: Monção e Melgaço, Lima, Cávado, Ave, Basto, Sousa, Baião, Paiva e Amarante;

4. Existe uma diversidade entre os Vinhos Verdes: os de estilo clássico, jovens, leves, frescos e com baixo teor alcoólico aos Vinhos Verdes sofisticados, com grande potencial de guarda, aromas e sabores complexos, intensos e minerais;

5. Na sub-região de Monção e Melgaço, na parte norte da Região do Vinho Verde, a chuva é mais reduzida e no verão as temperaturas são significativamente mais elevadas do que no resto da região. É neste microclima que a casta Alvarinho dá origem a um vinho seco encorpado, de caráter mineral, com um aroma subtil, fresco e complexo de alperce, pêssego e citrinos;

6. Um pouco mais a sul de Monção e Melgaço encontram-se as sub-regiões Lima, Cávado e Ave. Aqui, a principal casta é a deliciosa Loureiro, embora a Arinto e a Trajadura também sejam frequentemente utilizadas em combinações perfeitas. Os vinhos nestas sub-regiões são normalmente frescos e aromáticos, muitas vezes com um perfume citrino e de flor;

7. As sub-regiões montanhosas de Basto e Sousa também produzem vinhos leves a partir de várias castas. Nas sub-regiões de Amarante e Baião, a casta Avesso origina vinhos brancos secos e frescos com aromas ricos e um caráter mineral. Amarante e Paiva, esta última a sul do rio Douro, são muito reconhecidas pelos seus vinhos tintos;

8. O Espumante de Vinho Verde mantém o perfil de prova do Vinho Verde, sendo reforçadas as características de frescura aromática, associada a uma maior complexidade gustativa;

9. O perfil sensorial dos Vinhos Verdes brancos jovens apresentam-nos cor citrina ou palha, aromas ricos, frutados e florais, dependendo das castas que lhes dão origem. Na boca são harmoniosos, intensos e evidenciam uma grande frescura;

10. Os Vinhos Verdes envelhecidos exibem uma cor dourada, com aromas de fruta mais madura como o marmelo e mel. Na boca, temos mais complexidade e estrutura, um vinho mais redondo, gordo e persistente;

11. Os Vinhos Verdes rosé revelam uma cor levemente rosada ou carregada, aromas jovens, frescos, lembrando frutos vermelhos. O sabor é harmonioso, fresco e persistente;

12. Os Vinhos Verdes tintos apresentam cor vermelha intensa e, por vezes, espuma rosada ou vermelha viva, aroma vinoso, com destaque para os frutos silvestres. Na boca são frescos e intensos, muito gastronómicos;


Adaptado de CVRVV – Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes


Notícias